Apresentação

 


Missão

Planejar, pesquisar, aplicar e desenvolver produtos e serviços de tecnologia da informação e comunicação, contribuindo para o desenvolvimento da pesquisa, do ensino, da extensão, e da administração na UFSC.


Visão

A SeTIC será uma marca de referência na prestação de serviços e na promoção do uso inovador das tecnologias da informação e comunicação, reconhecida pela qualidade e inovação das soluções utilizadas para Suporte às atividades da UFSC.


Principais Atribuições

  • Promover o uso inovador das tecnologias de informação e comunicação;
  • Planejar, implantar e gerir a infraestrutura de TIC da UFSC;
  • Definir e especificar soluções de TIC para uso corporativo;
  • Planejar e desenvolver projetos e implementações de sistemas e soluções de TIC;
  • Prestar serviços de consultoria em soluções de TIC para as unidades da UFSC;
  • Prover a gestão de segurança do backbone e serviços centrais da redeUFSC;
  • Prover suporte técnico aos usuários da redeUFSC;
  • Manter a infraestrutura de redes e sistemas no regime 24 x 365;
  • Hospedar e administrar os recursos centrais de Processamento de Dados da UFSC;
  • Garantir a disponibilidade dos dados das Bases Corporativas;
  • Integrar os sistemas de governo com os sistemas UFSC;
  • Desenvolver e manter os Sistemas Administrativos e Acadêmicos;
  • Disponibilizar as informações para a tomada de decisão;
  • Desenvolvimento e suporte ao EaD;
  • Disponibilizar e manter a infraestrutura de identidades eletrônicas;
  • Regularização de Software (equalizar a utilização de Software Livre e Softwares de Mercado).

Histórico

A Computação foi introduzida na UFSC pelos projetos de pós-graduação da área tecnológica, no ano de 1970. A Universidade passava pela reforma que extinguiu as antigas faculdades, criou os Centros e Departamentos e adotou o sistema de créditos e a matrícula por disciplina. A atividade universitária, a partir de então passou a firmar-se no tripé: Ensino, Pesquisa e Extensão.

O primeiro computador da UFSC foi instalado em fevereiro de 1970. Era um equipamento IBM 1130, máquina de terceira geração, com
32 k de memória principal. O sistema era formado por uma unidade de disco de 512 k, de 16 bits, uma impressora de 120 linhas por minuto e uma leitora de cartões com velocidade de 600 cartões por minuto. Posteriormente, o sistema foi ampliado com uma unidade de disco adicional e uma impressora de 700 linhas por minuto. Foi o segundo computador instalado em Santa Catarina destinado, inicialmente, a suprir as necessidades dos programas de pós-graduação primeiro dos cursos de engenharia e, depois, economia, administração e contabilidade.

Com a criação, em 1970, do Departamento de Ciências da Computação, o computador passou a vincular-se a esse órgão. Em 1976, foi criado o Curso de Ciências da Computação e também um departamento próprio para gerir dos recursos de informática, o Departamento de Processamento de Dados, atual Superintendência de Governança Eletrônica e Tecnologia da Informação e Comunicação – SETIC. Com a implantação do Departamento de Processamento de Dados a UFSC adquire, em 1977, um computador IBM 360-40, com uma comfiguração que possibilitava não só uma ampliação do atendimento à pós-graduação e à pesquisa, como também às aplicações administrativas da universidade. O novo equipamento tinha uma configuração de 256 k de memória principal, 28 megabytes em discos magnético e quatro unidades de fitas, duas leitoras de cartões e duas impressoras. Em 1980, foi adquirido o IBM 4341, com 2 megabytes de memória principal e um, então revolucionário, sistema de vídeo. Em consequência das inovações tecnológicas, havia uma crescente necessidade de pessoal qualificado, o qual era suprido pelos alunos formados ou cursando as últimas fases do curso de bacharel em Ciências da Computação.

No final de 1976, há uma separação administrativa das atividades de computação na Universidade. As funções de ensino da computação ficaram por conta do Departamento de Ciencias Estatísticas e da Computação, vinculado ao Centro Tecnológico. O Departamento de Processamento de Dados, NPD, passou a vincular-se diretamente à Reitoria, obedecendo a regimentos próprios e com atividades voltadas para o ensino, pesquisa e extensão, mas com prioridade para aplicações na própria administração universitária.

As atribuições do Departamento de Processamento de Dados eram as seguintes:

1. Análise, programação e operação de sistemas para a universidade;
2. Atendimento aos usuários do computador;
3. Processamento de programas de alunos, professores e pesquisadores da UFSC;
4. Manutenção e desenvolvimento de sistemas operacionais.

Após um período de franca expansão (1976-80), o setor de informática passa por uma fase de crise decorente, em parte, de problemas salariais enfrentados pela Universidade. Em 1984, a equipe do NPD, que chegou a ser de vinte analistas, estava reduzida a apenas quatro. No que se refere a “hardware”, a única novidade nesse período foi a aquisição de mais 32 terminais de vídeo, dos quais apenas dois com configuração gráfica.

Em 1985, o Departamento de Processamento de Dados passa a ser o Núcleo de Processamento de Dados – NPD. Nesse ano, o NPD começou a receber novamente investimentos, foram adquiridos um novo módulo que possibilitou a expansão da memória principal do Ibm 4341 para 4 megabytes e três unidades de disco, que aumentaram a capacidade de armazenamento de 1200 para 1900 megabytes. Em dezembro de 1988, cria-se uma comissão técnica de trabalho para analisar e direcionar os investimentos de recursos obtidos junto ao FINEP, que resultou na abertura de uma licitação internacional com o objetivo de iniciar a implantação do modelo de processamento distribuido na UFSC, o qual deu início a redeUFSC.

Atualmente a UFSC trata a informática como uma de suas prioridades, os investimentos feitos para aprimorar a qualidade do ensino e agilizar as tarefas administrativas, são da ordem de milhões de reais, o que faz do SETIC um dos orgãos de destaque na universidade.